Encontro

Observatório para Descolonização da Universidade
09 março de 2020 | FLUL Lisboa
Danielle Pereira de Araújo: 'Encruzilhadas da luta antirracista no Brasil: da reivindicação emancipatória dos anos 80  à “inclusão da diversidade funcional” nas universidades brasileiras nos anos 2000
Silvia Maeso: "O projeto POLITICS e a descolonização da Universidade"

Conferência

I Intersectional Conference 2020 Encarceramento e sociedade
29 a 31 de janeiro de 2020 | Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
Bruno Barboza Muniz, Danielle Araújo, Sebijan Fejzula  e Rita Alves (Universidade de Coimbra/CES, Portugal): "“A criminalização do Baile Funk e do Rap e o Genocídio Anti-Negro no Rio de Janeiro e Lisboa” Este trabalho pretende refletir acerca dos processos de criminalização do baile funk e do rap nos contextos brasileiro e português. Nos interessa analisar as condições históricas, políticas e institucionais que normalizam o regime de exceção permanente ao qual estão submetidos pessoas racializadas e suas formas de expressão artística. A criminalização da arte produzida pelas comunidades negras têm servido para associar raça, território, perigosidade e deslegitimar manifestações artísticas que denunciam práticas de racismo cotidiano.

Seminário

Centre of Latin American Studies (CLAS) - Lunch Seminar
20 novembro de 2019 | CLAS. University of Cambridge, UK
Silvia Maeso: "(Un-)Thinking anti-racism through anti-blackness and relationality: research notes from Latin American and European contexts"

Encontro

IV Roma Political Academy of Portugal
2019 | Figueira da Foz
Cayetano Fernandez: "Movilización política romaní y las trampas del electoralismo payo"

Seminário

Arquitecturas Ambulatorias
2019 | Universidade de A Coruña, Espanha
Cayetano Fernández: "Antigitanismo de Estado y Autonomía política Romaní: Claves para la comprensión y la acción"

Encontro

Nacional meeting of Roma movement
2019 | Madrid, Espanha
Cayetano Fernández: Roma Autonomy and Political confrontation of anti-gypsyism

Encontro

Universidade Popular dos Movimientos Sociais
2019 |  Lisboa
Cayetano Fernández: "Racism and Historical Memory"

Encontro

Racismo Institucional e Sistema de Justiça
01 de outubro 2019 | Defensoria Pública do Estado de São Paulo
Silvia Maeso: Estudos comparados sobre legislação antirracista

Conferência

Afroeuropeans Conference 2019, | ISCET Lisboa |
04 a 07 de Julho de 2019
Luca Sebastiani: Questioning the link between integration and anti-racism: a case study from the Spanish context
Luana Coelho: Estado Racial e institucionalização do racismo: a colonialidade do poder e o papel do Direito na institucionalização do racismo
Marcos Silva: "Práticas educativas emancipatórias em movimento"
A presente comunicação é baseada no livro intitulado “O Movimento Negro educador: saberes construídos nas lutas por emancipação”, de Nilma Lino Gomes (2017). A obra situa um debate necessário nas sociedades contemporâneas, no campo das Ciências Humanas, principalmente no âmbito da educação sobre a questão racial no Brasil, além de contribuir para entender o papel do Movimento Negro brasileiro como educador e produtor de saberes emancipatórios sobre a questão racial no país. Ancorada nos estudos de Boaventura de Sousa Santos, Nilma Gomes discute sobre o entendimento dos saberes produzidos pelo movimento negro, argumento que este movimento é capaz de subverter a teoria educacional, contruir a pedagogia das ausências e das emergências, repensando a escola, a universidade e descolonizando os currículos educacionais. Sebjan Fejzula: ‘Police violence and Institutional racism: Antigypsyism within a Permanent State of Exception

Encontro

Afrodescendientes en América Latina: Diálogo de experiencias
25 a 25 de Junho de 2019 | Universidad Nacional Mayor de San Marcos | Lima, Peru.
Marcos Silva: "Culturas acadêmicas e educação superior: conhecimentos interconectados"
No marco das comemorações do mês da Cultura Afroperuana, com o apoio do Centro de Estudantes de Sociologia da Universidade Nacional Mayor de San Marcos, Lima, Peru, pesquisadores, estudantes, representantes de movimentos sociais de base, aforperuanos, afro-brasileiros, e demais participantes se reuniram para participar do Seminário Afrodescendientes en América Latina: Diálogo de experiencias entre Perú y Brasil. A comunicação focalizou o contexto educacional na sociedade brasileira , em particualr sobre politicas de ação afirmativa no ensino superior. Desse modo, na comunicação, sintetizamos algumas informações e reflexões sobre o debate e as práticas contemporâneas sobre uma educação antirracista na sociedade brasileira.

Congresso

Congreso Homenaje Internacional ‘Aníbal Quijano Descolonialidad del Poder Hoy’
3 a 9 de junho de 2019 | Universidad Nacional Mayor de San Marcos | Lima, Peru.
Luana Coelho: “La colonialidad del poder y el Estado de Derecho: la institucionalización del racismo en el contexto latinoamericano”
Silvia Maeso: “Ciencias sociales, raza, y la cuestión del poder: de “lo cholo” como conflicto cultural, a ‘Europa’ como identidad geocultural”
Marcos Silva: “Saberes interligados por uma educação antirracista” A presente comunicação é ancorada em aportes teóricos de autores contemporâneos, Aníbal Quijano, Boaventura de Sousa Santos, Nilma Gomes, assim, discutimos sobre os saberes que estão interligados de maneira dinâmica, apesar de suas especificidades: identitários (as políticas de ações afirmativas, recoloca o debate sobre raça no Brasil e o resisgnifica). Políticos (o Estado, sobretudo o Ministério da Educação, passam a tematizar sobre as desigualdades étnico-raciais). Estéticos-corpóreos ( estética da arte, estética como forma de sentir o mundo, como forma de viver o corpo). Entendemos que estes saberes são capazes de revolver a teoria educacional, contruir a pedagogia das ausências e das emergências, repensando a escola, a universidade e descolonizando os currículos.

Simpósio

Simposium Internacional IV Simposium Internacional EDiSo. Voces, silencios y silenciamientos en los estudios del discurso
5-7 Junio de 2019 I Universidade de Santiago de Campostela I Santiago de Campostela, Espana.
Cayetano Fernandez: Descolonizando las narrativas  públicos sobre la gitanidad
Sebijan Fejzula: Descolonizando las narrativas  públicos sobre la gitanidad

Encontro

“III Encuentro de Investigaciones sobre Cultura Afroperuana
25 a  27 de junho de 2019 |  Ministério da Cultura, Lima
Luana Coelho: “La Politica del Antirracismo en la America Latina y Eupora: producción del conocimiento, decisión política y luchas colectivas”.

Congresso

VII Congresso da Associação Portuguesa de Antropologia
4 a 7 de junho de 2019 | Facultad de Ciencias Sociales y Humanas de la Universidade Nova de Lisboa, Lisboa.
Luca Sebastiani: “Negar la raza no niega el racismo: análisis crítico de las políticas españolas de anti-discriminación”

Seminário Internacional

VIII Seminario Internacional “Los Afrodescendientes en las Américas: 200 años de Vida Republicana, Ciudadanías Incompletas”
5 a 7 de junho de 2019 | CEDET | Lima, Peru
Luana Coelho: “No todo es sobre raza": evadiendo el debate sobre racismo en el marco jurídico-político latinoamericano’
Danielle Pereira de Araújo: “Políticas afirmativas na educação superior: dilemas da luta antirracista nas fissuras das políticas integracionistas”
Silvia Maeso: “ El Estado del (anti)racismo y sus regímenes de negación en contextos europeos y latinoamericanos”
Bruno Muniz: “Genocídio e sistema de justiça: os limites do ‘antirracismo’ em instituições brancas” A atuação da polícia em comunidades negras no Rio de Janeiro demonstra a predominância do exercício do poder de tal maneira que apenas tentativas de reformar e aperfeiçoar o policiamento parece ser insuficiente. Policiais são inocentados sistematicamente pelo sistema de justiça, mesmo quando cometem crimes contra vida e mesmo diante de provas claras. Enquanto isso, mesmo considerando-se dados que demonstram uma enorme desproporção na violência exercida contra pessoas negras em relação a pessoas brancas, a negação do racismo ainda parece ser o discurso oficial. Neste contexto, a disposição do Estado em sustentar a discricionariedade do policiamento nos leva a algumas questões chave que serão consideradas ao longo deste artigo: É possível uma visão reformista da polícia que dê conta de combater efetivamente o policiamento racial e o genocídio contra populações negras? Ou seria o policiamento em si o problema? Como e em que medida instituições brancas podem contribuir no combate ao racismo institucional e ao policiamento racial? Qual é o papel dos movimentos sociais em pautar a atuação de instituições do campo jurídico?
Marcos Silva: "Políticas públicas educacionais no Brasil: sobre a emergência das Leis 10.639/03 e 11.645/08" O objetivo a que esta comunicação se propõe, consiste em demonstrar políticas públicas educacionais em particular as Leis nº 10.639/03 e nº 11.645/08, que são frutos de lutas antigas dos movimentos sociais, principalmente do Movimento Negro. Contudo, há que se levar em consideração que a implementação dessas duas leis significou estabelecer novas diretrizes e práticas pedagógicas, reconhecendo a importância e a contribuição das populações negra e indígena no processo de formação da sociedade brasileira. Desse modo, as Leis nº 10.639/03 e nº 11.645/08 devem ser encaradas como parte fundamental do conjunto de políticas que visam uma educação de qualidade igualitária.

Seminário

Seminario doctoral "Cocinando Ideas"
15 de março de 2019 | Programa de Doctorado en Estudios Migratorios de la Escuela de Doctorado en Humanidades y Ciencias Sociales y Jurídicas de la Escuela Internacional de Posgrado de la Universidad de Granada
Luca Sebastiani: “De verdad ‘España es diferente’? Análisis crítico de las políticas de anti-discriminación ‘con base en el origen étnico-racial’”

Seminário

Pop studies: Historia del Antigitanismo
2 de marco de 2019, I Ayllu group I Madrid, Spain
Sebijan Fejzula: Narrativas violentas: La integración del pueblo Roma
Cayetano Fernandez: Genealogía del Antigitanismo

Encontro

“Comunicar desde el antiracismo”
28 de febrero de 2019 I ES Racismo I Madrid Espana
Cayetano Fernandez: Tareas y retos del antiracismo politico

Encontro

SOS Racismo Portugal
8 diciembre de 2018, SOS Racismo I Tocha, Portugal
Cayetano Fernandez: (DES)EDUCAÇAO E DES(EN)COMBRIMIENTOS: DISPUTAR MEMÕRIA/DESVENDAR O RACISMO

Seminário

Corpos insubmissos: experiências e perspetivas da luta anti-racista no século XXI
19 e 20 de novembro de 2018, 09h00, Sala de Seminários (Piso 3), CES | Sofia  | Coimbra
Danielle Araújo: "Estado de direito e racismo"
Bruno Muniz: "O genocídio da população negra: colonialismo, pacificação e funk"

Congresso
I Convegno Nazionale SIAC. Razza, razzismi, discriminazioni razziali. Il contributo dell'antropologia culturale alla riflessione contemporanea
8 a 10 Novembro de 2018 | Università La Sapienza di Roma, Aula Odeion, Piazzale Aldo Moro, 5 - Roma
Luca Sebastiani: "Razzismo e politiche d'integrazione: problematizzando una relazione 'insospettabile'. Riflessioni a partire da una ricerca trans-scalare sul 'Quadro europeo per l'integrazione"
Marcos Silva: "Reflexões sobre o combate ao racismo pela educação no Brasil: cultura universitária" A presente comunicação está baseada em dois estudos. O primeiro deles é a comunicação dos resultados obtidos com a tese de doutorado defendida na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Brasil, sobre trajetórias de estudantes negros da pós-graduação. O segundo anuncio discussões iniciais sobre o projeto em desenvolvimento POLITICS: A política de antirracismo na Europa e na América Latina: produção de conhecimento, decisão política e lutas coletivas, desenvolvido no Centro de Estudos Sociais, Universidade de Coimbra, Portugal com financiamento do European Research Council. O projeto tem duas áreas principais de pesquisa: produção de conhecimento sobre “raça” e (anti) racismo nas esferas de política internacional, nacional do governo, universidades públicas e movimentos sociais; os processos de denúncia e mobilização coletiva contra o racismo institucional relacionados à violência policial e representações nos meios de comunicação.

Coloquio internacional

CES 40 anos: A imaginação do futuro. Saberes, experiências, alternativas
7 a 10 de novembro de 2018, Faculdade de Economia e Auditório da Reitoria da Universidade de Coimbra
Danielle Araújo & Bruno Muniz: "Genocídio da população negra: contribuições das mulheres negras na luta anti-racista na América Latina" O objetivo da presente exposição é apresentar um breve histórico das contribuições das mulheres negras à discussão sobre o genocídio do povo negro no contexto brasileiro. Em sua maioria, mulheres directamente afectadas pela violência policial (mães, irmãs, filhas, esposas de homens negros exterminados pela polícia), mulheres negras de diversos lugares do Brasil têm pautado a discussão sobre o genocídio negro cometido pela polícia, o 'braço armado do Estado racializado' e conseguido colocar esse tema não apenas na agenda política nacional mas principalmente e como uma dos principais reivindicações na luta antirracista brasileira. O termo genocídio aparece em alguns artigos sobre o genocídio da juventude negra no Brasil entre aspas, como em Sinhoretto e Morais (2017), Mattos (2017), Domingues (2008). O uso das aspas introduz o termo genocídio como parte de uma “narrativa” dos movimentos sociais negros brasileiros (Sinhoretto e Morais, 2017). Como veremos a frente, o mesmo transparece em relatório da ONU sobre as minorias no Brasil, escrito por Rita Izsác em 2015. Contudo, dados quantitativos e qualitativos e até uma Comissão Parlamentar de Inquérito conduzida na Câmara dos Deputados no Brasil demonstram que a juventude negra é sim sistematicamente assassinada, violentada e criminalizada. Porque então diversas autoridades (políticas, intelectuais) insistem no uso da palavra entre aspas mesmo diante das constantes denúncias feita pelo movimento negro? A presente exposição tratará o genocídio a partir da perspectiva de luta do movimento negro no Brasil com foco especial na luta liderada pelas mulheres negras para denunciar o genocídio sofrido pela população negra. Buscaremos refletir sobre o papel que tem desempenhado o movimento de mulheres negras na denúncia cotidiana "de um Estado que não só não cumpre a sua prerrogativa Constitucional de proteger, preservar os interesses e a vida plena de negros e negras, mas, mais do que isso, [...] a omissão do Estado Brasileiro [redunda] em situações que incidem diretamente na baixa qualidade de vida, sobretudo do povo negro" (Iêda Leal, MNU, 2018). Nesse sentido, interessa-nos refletir de que modo as lutas do movimento negro com atuação decisiva das mulheres negras com uma pauta de luta que tem priorizado a denúncia da violência sistemática empregada contra a juventude negra oferece possibilidades de construção de uma nova gramática contra-hegemônica do enquadramento jurídico acerca do conceito de genocídio, ampliando o espaço de atuação da luta antirracista.

Congresso

X Congresso Brasileiro de Pesquisadores/as Negros/as
12 a 17 de outubro de 2018 | Universidade Federal de Uberlândia | Uberlândia/MG.
Marcos Silva: “Relato de experiência: vivências além-mar no contexto étnico-racial” A comunicação discutiu experiências de estudantes brasileiros, no que se refere, as barreiras enfrentadas, e os apoios recebidos, quando estes realizam estágios acadêmicos no exterior. Nesta direção perguntamos: como implementar práticas antirracistas, e uma política institucional no ambiente educacional? Será que as práticas racistas no Brasil e na Europa em particular em Portugal são semelhantes? Para alguns autores, muitas vezes, a Europa tem negligenciado a história de lutas políticas, assim tem ignorado ativamente a contribuição de intelectuais ativistas antirracistas mais críticos. Para eles, no que se refere ao racismo institucional e às políticas de integração especificamente nas esferas do emprego e educação, é necessário questionar criticamente os pressupostos por trás dos discursos sobre integração, coesão social, interculturalidade e diferença cultural, como apontam (Maeso; Araújo, 2013).

Congresso
X Congresso Brasileiro de Pesquisadores/as Negros/as
12 a 17 de outubro de 2018 | Universidade Federal de Uberlândia | Uberlândia/MG.
Marcos Silva: “Trajetórias educacionais de pesquisadores(as) negros(as) na sociedade contemporânea” A comunicação teve como propósito refletir sobre trajetórias de esutdantes negros no ensino superior no Brasil. Os resultados do estudo apresentado mostraram que estas trajetorias, são atravessadas em algum momento pelo racismo, independente da classe social dos estudantes. Desse modo o estudo dialogou com as dimensões da exclusão social, proposta por Sawaia (2006), abrangendo as dimensões objetiva, referente à desigualdade social; ética, referente às injustiças sociais; subjetiva, referente ao sofrimento ético-político produzido pela exclusão social. Isto é, se associa ao coro que questiona as desigualdades sociais e colabora com essa luta, mostrando o embate entre as formas “sutis” de manutenção de estruturas excludentes em políticas públicas de inclusão e a potência de resistência dos sujeitos, e indicando que ao mesmo tempo em que tais políticas são fundamentais para a superação de desigualdades, elas só se efetivam pela ação e força dos sujeitos e dos movimentos sociais.

Conferência
Jornadas de Estudo “Democracia e Estado Democrático em erosão: quando a exceção se torna regra”
28 e 29 de setembro de 2018 | França, Maison des Sciences de l’Homme em Toulouse
Bruno Muniz: "The genocide of black youth: colonialism, pacification and funk"

Congresso
IV Congreso Internacional de Antropología AIBR "Encuentros, diálogos y relatos desde los sures
4 a 7 de setembro de 2018 | Facultad de Filosofía y Letras de la Universidad de Granada
Luca Sebastiani, Paula Martín Godoy e Antonia Olmos Alcaraz: "Abordar el racismo en su complejidad: consideraciones teórico-metodológicas"

Congresso

56.º Congresso Internacional de Americanistas
16 a 20 de julho de 2018 | Universidade de Salamanca, Espanha
Marcos Silva: “Histórias de pesquisadores(as) negros(as) da Pós-graduação” Este estudo é um recorte de um projeto maior de pesquisa que objetivou fornecer elementos para discussão acerca das desigualdades raciais no sistema educacional brasileiro e as histórias e estratégias de dois pesquisadores negros, utilizadas para o ingresso, permanência e titulação na pós-graduação (mestrado) em São Paulo. Uma particularidade da sociedade brasileira é que a formação e a prática em pesquisa ocorrem, quase que exclusivamente, no âmbito da pós-graduação. O censo de 2010 é o primeiro em que o número de pessoas autodeclaradas negras supera a população branca. Este é um fato importante, porque reflete no ingresso de negros à pós-graduação e sugere uma mobilidade educacional atualmente provocada em parte pelas políticas de ação afirmativa com recorte racial na graduação. É como se houvesse uma demanda reprimida de acesso dos negros à educação superior.

Conferência

The Migration Conference 2018
26 a 28 de junho de 2018 | ISEG | Universidade de Lisboa
Luca Sebastiani: “The (re)production of racism at EU level: problematizing integration policies”

Roda de Conversa

Eurocentrismo e Antirracismo
29 a 29 de Junho de 2018  | Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero, Raça e Saúde da Universidade Federal da Bahia
Silvia Maeso: "Racismo institucional, antirracismo político"

Seminário

Seminário Anísio Teixeira
14 de Junho de 2018  | Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.
Silvia Maeso:"O antirracismo como luta descolonial"

V Congreso Internacional de Antropología AIBR
9 a 12 de julho de 2018 | Universidad Autónoma de Madrid
Luca Sebastiani: “Investigando las políticas de anti-discriminación españolas desde la antropología de las políticas públicas”
Luca Sebastiani; Paula Martín Godoy: “Racismo e integración de inmigrantes: ¿realidades contrapuestas?”

Seminário

Seminario doctoral "Cocinando Ideas"
25 de maio de 2018 | Programa de Doctorado en Estudios Migratorios de la Escuela de Doctorado en Humanidades y Ciencias Sociales y Jurídicas de la Escuela Internacional de Posgrado de la Universidad de Granada
Luca Sebastiani, Paula Martín Godoy: “¿Por qué hablamos de integración (de inmigrantes) y no de racismo?”

Seminário

II Seminário Internacional Histórias do Pós-Abolição no Mundo Atlântico
15 a 18 de maio de 2018 | Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, Brasil
Silvia Maeso: "A academia e o turismo dos 'descobrimentos': o privilegio branco ou a arte da desconversa"
Silvia Maeso: "Anti-racism and Education in Brazil and in Portugal"

Seminário

25 de marzo de 2018 | Departamento de Antropología Social y Pensamiento Filosófico Español de la Universidad Autónoma de Madrid
Luca Sebastiani: “‘Aquí no hay racismo’: análisis crítico de las políticas públicas de anti-discriminación españolas”

Seminário

3º Seminário  Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais
21 março de 2018 | Universidade do Minho, Braga, Portugal
Marcos Silva: “Pesquisadores (as) Negros(as): ingresso, permanencia, apoios e barreiras no Ensino Superior/ Pós-Graduação no Brasil"